EnglishPortugueseSpanish
Fone: (11) 3059-2090 comercial@abioptica.com.br Av. Dr. Chucri Zaidan, 296 ,23º andar, São Paulo - SP, Brasil - 04583-110
Sem Título 1

Qual lente de contato é melhor para treinar e que cuidados ter com ela?

Quem tem problemas de visão como miopia e astigmatismo sabe que é arriscado usar óculos ao fazer esportes de contato ou com bola (lutas, futebolbasquetevôlei etc.). Ao sofrer uma queda, levar um golpe ou uma bolada, os óculos podem machucar o seu rosto e os seus olhos.

Por isso, para quem pratica esse tipo de modalidade e precisa de lentes corretivas, o mais indicado é usar lentes de contato. Elas garantem não só que você enxergue bem durante o exercício, como também proporcionam conforto, segurança e até uma melhor visão do que os óculos —explicamos melhor esse benefício mais abaixo. Mas fazer atividades físicas com lentes de contato exige atenção, principalmente para não infectar os olhos.

A seguir, tiramos dúvidas comuns de quem treina com lentes e mostramos cuidados importantes que você precisa ter.

Qual a melhor lente de contato para a prática esportiva?

Não há uma lente específica para o esporte. Mas as lentes gelatinosas de uso único costumam ser as mais recomendadas para quem vai utilizar o produto apenas para fazer exercícios, por serem consideradas mais seguras (têm menor risco de contaminação) e práticas.

Segundo os especialistas ouvidos por VivaBem, ao usar a lente diária para treinar a pessoa não precisa se preocupar, por exemplo, com o estojo e a solução de limpeza. Você retira o produto da embalagem, coloca-o no olho, faz seu exercício e depois o tira e joga fora.

Claro que o tipo de lente a ser utilizado por cada pessoa é uma questão bem individual —se você usa a lente o dia todo e vários dias da semana, por exemplo, a de uso mensal pode ser mais vantajosa. O tipo deve ser decidido com a ajuda do oftalmologista, após realização de exame oftalmológico e avaliação dos hábitos da pessoa.

Quais são os principais cuidados que você deve ter?

Lave bem as mãos Os cuidados com as lentes de contato no treino são os mesmos que devem ser tomados no dia a dia. O principal deles é higienizar bem as mãos com água e sabão e enxugá-las em papel absorvente ao colocar e retirar as lentes de contato. A higiene das mãos é essencial para minimizar risco de contaminação das lentes, o que pode causar complicações oculares.

Não esfregue o olho se cair suor ou sujeira O risco aqui vai além de você perder as lentes. Mesmo que pareçam limpas, suas mãos estão cheias de germes. Aí, ao esfregar os olhos, você pode levar micro-organismos para dentro deles, contaminando a região e também as lentes de contato. Além disso, o atrito das mãos com os olhos pode ocasionar lesões oculares.

Se suor ou sujeira estiverem irritando seus olhos durante um treino, o certo é parar a atividade, lavar as mãos e retirar as lentes para fazer uma higienização —ou até mesmo realizar a troca delas. Caso isso não seja possível, outra opção é usar colírios lubrificantes ou lágrimas artificiais para lavar os olhos, com ou sem lentes de contato. Se depois do treino você tirar as lentes e o desconforto persistir, é recomendado procurar um médico oftalmologista.

Tire-as antes do banho Seja no vestiário da academia, seja na sua casa, a recomendação é sempre tirar a lente antes de entrar no chuveiro. A água pode ter impurezas, sabão ou estar contaminada com bactérias, vírus, fungos, que podem ser absorvidos pelas lentes e ficar em contato prolongado com seus olhos, provocando irritação ou até mesmo problemas como conjuntivite, úlceras e outras condições que podem levar à cegueira.

Armazene corretamente Se você usa as lentes de contato de uso prolongado (mensal), é essencial higienizá-las e armazená-las corretamente após o uso —utilizando sempre solução de desinfecção multipropósito e estojo apropriados. Também é importante descartar as lentes no prazo indicado pelo fabricante e trocar o estojo a cada três meses. Esses cuidados reduzem o risco de infecções por fungos e bactérias.

Dicas práticas ao usar lentes de contato para treinar:

  • Se onde você pratica esportes não há um banheiro adequado para fazer a higienização das mãos, coloque as lentes em casa (ou no trabalho), antes de sair para treinar;
  • Tenha sempre um par extra de lentes de contato, para trocar ou repor o acessório, se necessário;
  • Tenha sempre um colírio lubrificante ou lágrima artificial prescrita pelo oftalmologista;
  • Sempre que possível, use óculos de sol para fazer exercícios ao ar livre;
  • Nunca retire as lentes de contato com a mãos sujas;

Posso fazer esportes aquáticos com lente de contato?

Não. Água e lentes de contato não combinam. A água de mar, lagos, rios ou piscinas pode conter micro-organismos que contaminam as lentes e podem provocar graves infecções oculares, além de irritações e alergias. Lentes de contato rígidas não devem ser usadas sem óculos de proteção, pois saem dos olhos ao abri-los dentro d’água.

Os esportes aquáticos devem ser praticados com o uso de óculos adequados à modalidade, que podem ter lentes corretivas. Quando o uso das lentes for inevitável, o atleta deve consultar um médico oftalmologista, que irá avaliar a possibilidade de utilizar lentes gelatinosas de uso único. Elas devem ser retiradas e descartadas imediatamente após a prática esportiva na água. Se necessário, uma nova lente pode ser colocada a partir de 30 minutos da retirada. Essas ações diminuem o risco de contaminação por vírus, bactérias e protozoários.

Melhor visão

Segundo os especialistas ouvidos por VivaBem, uma das vantagens das lentes de contato em relação aos óculos é que, como a correção do grau é feita diretamente sobre os olhos, o campo de visão é similar ao mesmo de um olho que não tem grau, garantindo uma melhor visão periférica —o que, em alguns esportes, pode contribuir para um melhor desempenho. Os oftalmologistas explicam que as armações dos óculos são o principal obstáculo que diminuem o campo de visão de um atleta. Com o uso das lentes de contato, o campo visual pode ser ampliado em até 15% —em comparação com o uso de armações.

Outro ponto positivo é que as lentes de contato proporcionam ao esportista mais liberdade de movimento, mais estabilidade visual mesmo com a constante movimentação ocular e menos distorções —como ocorre com as lentes dos óculos, sobretudo as com maiores graus. A superfície das lentes de contato também não sofre com reflexos, o que evita o ofuscamento e a melhora no contraste quando a iluminação é intensa.

Elas também sofrem menor intervenção do clima, não embaçam com chuva, não grudam poeira nem ficam condensadas com neblina, vapor ou suor.

Proteção solar

Usar lentes de contato ao praticar exercícios traz benefícios além do que se espera delas —que é enxergar bem. Alguns modelos de lente oferecem proteção contra raios UVA e UVB, o que ajuda a preservar a saúde ocular.

A exposição prolongada dos olhos aos raios solares pode causar a chamada degeneração macular. A mácula é a região que atua na visão de detalhes, quando alterada, diminui a acuidade visual. Já a radiação UVB pode queimar a córnea e provocar alterações no cristalino —sendo a catarata a mais comum.

Vale lembrar que as lentes com filtro UV não protegem a conjuntiva (membrana que recobre a parte branca dos olhos) e as pálpebras contra os danos provocados pelos raios solares. Portanto, em atividades em que você fica muito exposto ao sol e isso for possível, é indispensável usar também óculos escuros.

 

Fonte: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2021/11/10/lente-de-contato-no-treino-veja-cuidados-ao-usar-o-acessorio.amp.htm

Fontes: Tania Schaefer, doutora em oftalmologia pela USP (Universidade de São Paulo) e presidente da Soblec (Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria; Debora Espada Sivuchin, graduada pela Faculdade de Medicina do ABC com residência médica e fellowship no setor de lentes de contato na mesma instituição, pós-graduada pelo Instituto de Ensino e Pesquisa Albert Einstein e gerente do time de educação profissional da Johnson&Johnson Vision; Mirella Maranhão, médica oftalmologista no Hope (Hospital de Olhos de Pernambuco), especialista em doenças externas oculares, córnea e lentes de contato, e preceptora de córnea e lentes de contato na Fundação Altino Ventura.

Buscar