EnglishPortugueseSpanish
Fone: (11) 3059-2090 comercial@abioptica.com.br Rua Pensilvânia, 506
20190611 155245

Em ação inédita, entidades ópticas e Prefeitura de São Paulo firmam parceria para combater pirataria e ilegalidade no setor

Abióptica, Sindióptica, Siniop e empresas do setor discutem medidas eficazes com a Prefeitura de São Paulo

Com o objetivo de unir esforços no combate à pirataria e ilegalidade na comercialização de óculos solares, de correção, lentes e armações, empresas e entidades que representam o setor óptico se reuniram ontem (11) com o Secretário Executivo da Prefeitura de São Paulo, Fábio Lepique, para discutirem medidas que coíbam a prática no município.

Estiveram presentes representantes da Associação Brasileira da Indústria Óptica (Abióptica), do Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico, Fotográfico e Cinematográfico no Estado de São Paulo (Sindióptica) e do Sindicato Interestadual da Indústria Óptica de Estado São Paulo (Siniop), além de porta-vozes das empresas Marchon Brasil, Luxottica, Chillibeans, Óticas Carol, Suntech (HB), Optitex e GO Eyewear.

“Os danos causados pelo consumo de produtos falsificados ou ilegais são inúmeros, mas afetam, principalmente, a saúde do consumidor, já que tais itens não oferecem a proteção adequada aos olhos. Há, também, os danos econômicos, já que os produtos não são submetidos aos tributos exigidos por lei”, comentou Ambra Nobre Sinkoc, Diretora Executiva da Abióptica, ao introduzir a reunião. Todos os participantes expuseram seus pontos de vista sobre o tema.

Para o secretário Fábio Lepique, é fundamental contar com o respaldo de quem entende a fundo as necessidades do setor óptico para intensificar as ações de combate à pirataria. “São Paulo tem uma ótima legislação nesse sentido, que serve, inclusive, de referência para outros municípios. Mas para que possamos intensificar a fiscalização, é muito importante a escolha de parceiros adequados”, comentou, ressaltando que só em 2019, a Prefeitura de São Paulo apreendeu na cidade cerca de 1.780 toneladas de produtos falsificados e/ou ilegais.

Bastante positivo, o primeiro encontro já rendeu ideias de ações que podem, em breve, ser colocadas em prática. “Estou saindo muito otimista e certo que juntos teremos forças para combater estas ilegalidades”, comentou Edy Titelbaum, Presidente do Conselho de Administração da Abióptica.

Buscar