Kkkk

Junho Violeta alerta sobre a prevenção do ceratocone

18/06/2018

Em estágios mais avançados, o único tratamento para a doença é o transplante de córnea

Com o tema “Esfregar e coçar os olhos prejudica a visão”, foi iniciada a campanha Violet June, ou Junho Violeta, na tradução para o português, no início deste mês. O objetivo é divulgar informações sobre os riscos do ceratocone. “Coçar muito os olhos, pré-disposição genética ou ter parentes com ceracotone são fatores de risco para a doença, que é uma distrofia corneana que gera ectasia, ou seja, é quando nossa córnea passa a ter um formato irregular e fica mais fina”, explica a oftalmologista da Clínica Canto, Ana Paula Canto.

O ceratocone é a distrofia mais comum da córnea e afeta uma em cada duas mil pessoas, segundo dados do Conselho Brasileiro de Oftalmologia. A doença costuma surgir entre os 13 a 18 anos e tende a se estabilizar aos 35. “Normalmente, o ceratocone ocorre nos dois olhos, de maneira assimétrica, quer dizer, é mais avançado em um dos olhos”, ressalta a oftalmologista.

Embora não tenha cura, a doença tem tratamento. Por isso, é importante o diagnóstico precoce para evitar a sua progressão. Em casos iniciais, o uso de óculos é suficiente para a melhora da visão. Mas, em situações mais avançadas, pode ser necessária uma lente de contato rígida ou anéis intraestromais. “Temos diversas opções de lentes de contato no mercado e elas costumam funcionar muito bem. Já os anéis intraestromais são colocados no meio da córnea e ajudam a regularizar o ceratocone e a melhorar a visão quando os óculos e as lentes não resolverem”, explica Geraldo Canto, oftalmologista da Clínica Canto.

Em alguns casos, também é realizado um procedimento denominado crosslink para evitar a progressão do ceratocone. “O método consiste na aplicação de um medicamento associado a raios ultravioletas em frequência específica, que colabora para que as fibras de colágeno da córnea se aproximem e fiquem mais fortes, diminuindo as chances de progressão da doença”, revela o oftalmologista. Já em estágios mais avançados, o paciente pode ser submetido ao transplante de córnea. “Quando nenhum outro procedimento conseguir ajudar na melhora da visão do paciente, pode ser indicada a realização do transplante.”

Sintomas do ceratocone
A deformidade na córnea causada pela ceratocone provoca um distúrbio na visão, fazendo com que ela fique mais embaçada e fora de foco. “É comum um dos primeiros sintomas ser alterações frequentes no grau dos óculos, normalmente dos graus de astigmatismo e miopia. Mas, muitos pacientes só vêm até o consultório quando percebem que os óculos não estão mais resolvendo e a doença já está mais avançada”, conta Ana Paula Canto.

Para evitar a doença, a recomendação é nunca coçar os olhos, principalmente se há casos de familiares com a doença. “Também é fundamental consultar um oftalmologista regularmente, pois somente ele poderá identificar a doença mesmo antes do paciente perceber os sintomas”, orienta a oftalmologista.

Fonte: http://paranashop.com.br/2018/06/junho-violeta-alerta-sobre-a-prevencao-do-ceratocone/

Buscar